DORES ARTICULARES E MUSCULARES

DORES ARTICULARES E MUSCULARES

Segundo o Conselho Federal de Fisioterapia as lesões musculares são uma das principais causas de afastamento dos praticantes de atividade física dos seus treinos em seus vários níveis de intensidade e modalidade. Apesar disso, elas não são privilégio somente dos atletas amadores e profissionais, qualquer pessoa pode estar sujeita a uma lesão muscular enquanto realiza suas tarefas do dia-a-dia, sendo jovens ou idosos ativos não somente pessoas sedentárias e inativas. Por isso, é cada vez mais comum a prática de exercícios funcionais considerados de proteção que previnem lesões através do aumento da força, da resistência e da potência do sistema músculo esquelético, aumentando a amplitude dos movimentos e a estabilidade das articulações.

Em idosos os movimentos funcionais contribuem para melhores níveis de agilidade e independência uma vez que os tornam mais fortes e flexíveis já que aumentam o desempenho físico e reduzem as dores nas articulações. Para aqueles que sofrem de dor crônica musculoesquelética, degeneração articular e perda de força e flexibilidade, a prática destes exercícios também reflete em bons resultados. É importante lembrar que cada pessoa deve ter seu plano de exercícios individualizado e adequado às suas necessidades específicas.

Vamos entender os vários tipos e níveis de lesões oste musculares.

 

  • TIPOS DE LESÃO MUSCULAR

As principais lesões musculares são, estiramento, distensão, contusão e ruptura. Praticamente 90% de todas as lesões musculares são contusões ou estiramentos.

As lesões são divididas em agudas ou seja, aquelas que levam menos de três semanas para serem recuperadas e crônicas sendo esta recorrente.

Quanto ao tipo, as lesões podem ser divididas entre as causadas por fatores intrínsecos, ou aquelas ocasionadas for fatores externos (ou extrínsecos).

 

  • GRAUS DE LESÃO MUSCULAR

Quanto à gravidade, as lesões musculares são classificadas em três graus distintos:

  • Grau 1: É a lesão muscular que envolve a ruptura de poucas fibras musculares. Menos de 5% das fibras totais do músculo são afetadas, e o inchaço é mínimo. O desconforto é pequeno e ocorre principalmente quando o músculo é contraído ou alongado. Não há perda de função.
  • Grau 2: As lesões de segundo grau envolvem um rompimento maior de fibras musculares, podendo afetar de 5 a 50% do músculo lesionado. O edema (inchaço) é maior e a capacidade de contração fica muito afetada. Além de não conseguir movimentar adequadamente o músculo, a dor é mais intensa que na lesão muscular de Grau 1.
  • Grau 3: Há uma ruptura total do músculo, com grande parte das fibras sendo afetada. Há uma perda completa da função muscular, com grande hemorragia e edema. A dor é praticamente constante e o tratamento muitas vezes é cirúrgico.
  • COMO TRATAR UMA LESÃO MUSCULAR

Como regra geral, recomenda-se para todas as lesões aplicar o protocolo conhecido como P.R.I.C.E:

  • Proteção (Protection): proteja o local para evitar trauma.
  • Descanso (Rest): tão logo seja detectada a lesão, deixe o músculo em repouso. Isso não somente auxiliará na recuperação como evitará novas lesões no local. Se a lesão muscular for leve, volte às suas atividades físicas após alguns dias, sempre respeitando seus limites e evitando grandes esforços com o músculo lesionado.
  • Gelo (Ice): para não queimar a pele, coloque cubos de gelo em um saco plástico e envolva em uma tolha. Faça diversas aplicações ao dia, sempre evitando ficar mais que 20 minutos com o gelo sobre a lesão.
  • Compressão (Compression): O objetivo da compressão é reduzir a circulação sanguínea no local da lesão, limitando assim o edema. Você pode utilizar uma faixa elástica, mas fique atento para não apertar demais o músculo lesionado, pois isso inibiria totalmente o fluxo de sangue para a região, podendo até mesmo provocar uma gangrena. Se você sentir dor ou dormência no local, retire ou afrouxe a bandagem.
  • Elevação (Elevation): A elevação do membro contundido facilitará a drenagem venosa do local, diminuindo a pressão sanguínea na região lesionada. Como consequência, haverá uma redução no inchaço. O método é mais eficaz quando o membro lesionado é elevado acima do nível do coração.

 

De agilidade e mobilidade ao seu corpo através de exercícios de movimentos funcionais que proporcionam instabilidade para que seus músculos articulações se ajustes e promovam a sinergia necessária para o desempenho de suas rotinas diárias. Faça natação funcional, solicite mais informações em nosso site e venha conferir de perto essa modalidade.

 

 

WhatsApp Chat
Enviar via WhatsApp